24 de set de 2010

MTV Sobre Danger Days, Novo Álbum do MCR


Claro, ainda nem tem uma data de lançamento, mas Bigger Than the Sound já está apaixonado pelo novo álbum do MCR.

Provavelmente é muito cedo para dizer isso, mas baseado em pouco mais do que um trailer realmente legal e um título muito grande, eu vou declarar que o Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys do My Chemical Romance é o álbum de rock perfeito!

Estou sendo prematuro em dizer isso? Com certeza. Danger Days nem tem uma data oficial de lançamento.

Estou sendo exagerado? Absolutamente. Além de alguns versos do (que eu presumo) seja uma música chamada "Na Na Na" que aparece no trailer, eu não ouvi nenhum preview do que vai estar no álbum.

Mas nada disso realmente importa. Pois baseado em tudo que não tem nada com a música, esse já é o álbum de rock "mais" preferido de 2010, e talvez o mais perfeito na história recente.

E aqui está o motivo:

Não é segredo que sou um fã de ambição e insanidade (ambos são os motivos pelos quais gostei tanto do novo álbum do Linkin Park) e julgando pelo que eu vi até agora, Danger Days é ambicioso e insano, com frequência ao mesmo tempo. Para provas disso, assista o trailer, que mostra um cara com colante de patins em uma estrada abandonada da California, a voz de alguém chamado "Dr. Death Defying," um "Trans Am" detonado, explosões, uso de jaquetas de couro (e bandanas) e os caras do My Chem estrangulando caras com máscaras do Drácula e com luvas de poderes da Nintendo. E isso é só em 70 segundos. Também há a questão do novo cabelo super vermelho do Gerard Way, que quase o faz parecer um dos inimigos do Batman, ou talvez uma versão do século 23 de Hayley Willians. Mais legal ainda!!

Simplesmente, é insano, e uma estética completamente re-imaginada do My Chemical Romance, que, até agora, envolvia em sua grande parte roupas pretas e maquiagem e era bem sombrio. Em Danger Days, eles jogaram fora o melodrama (da janela de um Trans Am), adquirindo um estilo imprudente e tolo, um que lembra coisas como "Mad Max," os filmes de John Carpenter, filmes pós-apocalipticos com zumbis, o explendor de Evel Knievel e até, se formos exagerar, "Zabriskie Point." de Michelangelo Antonioni.

Mas apesar do pedigree de suas influências (ou a falta deles), a linguagem está profundamente plantada desta vez, algo que - para uma banda com a reputação como a do My Chem - é relativamente novo, não mencionando arriscada, considerando o que os tornou tão adorados por seus fãs até agora foi basicamente o oposto disso. o MCR sempre explorou temas mais pesados - morte e perda e tristeza e a salvação, para mencionar alguns - e por isso, eles mantiveram uma conexão espiritual com os fãs. Eles são a banda cujas músicas salvaram muitos adolescentes, afinal. E agora, eles são praticamente personagens de desenho - the Fabulous Killjoys, eles se denominam - duelando com mosntros e usando NES Zappers no deserto. Não é difícil de ver uma nova encarnação que possa alienar alguns, ou pelo menos, levar algum tempo para se acostumar.

E então tem a questão da ambição, que dá pra ter um gostinho com o trailer. Pois apesar do que foi dito por Way, esse parece ser um álbum conceitual, sobre um grupo de foras-da-lei patrulhando a California, supostamente num futuro próximo, e e definitivamente depois de algum tipo de evento catastrófico (aniquilação nuclear? Holocausto de robos? os dois?). O álbum é chamado Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys. E enquanto o MCR nunca desistiram de serem conceituais, parece que eles fizeram isso aqui. O que quer que eles tenham preparado, é definitivamente ambicioso, e, se o conceito é o que eu acabei de explicar, ele se aplica muito bem a um comentário que Way fez ano passado sobre o novo álbum ser uma celebração da vida como "uma banda de rock and roll americana" - só que nesse caso, eles estão fazendo o papel de uma banda de rock num futuro bombardeado. Estranhamente, isso funciona muito bem.

O quanto mais eu penso sobre isso, mais eu percebo que o My Chemical Romance basicamente fez tudo em seu poder para fazer Danger Days o álbum de rock perfeito - pelo menos para mim. Eles praticamente seguiram a lista. Álbuns conceituais/ Eu amo essas coias/Músicas descartadas pois era muito sem graça pra ver a luz do dia?

Eu escrevi uma coluna sobre esse tópico dois anos atrás. Problemas internos que levam a saída de um integrante (neste caso, o baterista Bob Bryar)? Cara parece um álbum do Pinkerton Effect pra mim. Eles não poderiam ter planejado melhor se tivessem tentado. Danger Days é praticamente feito para mim. Não é de se duvidar que eu acho perfeito.

Claro, eu sei que você não sou eu. Mas eu não acho que não é muito exagero dizer que se você não está animado com Danger Days, você provavelmente não é um fã de rock. É tudo que voçê poderia pedir de um álbum de um grande selo - ambicioso e doido e inspirador de sua forma estranha - de uma banda que rapidamente está se tornando verdadeiramente ótima.

Tudo isso irá funcionar?

Os fãs do MCR irão gostar?

Isso é apenas parte do que torna esse processo tão excitante. Mas, no final das contas, isso não é o importante, pois tudo que nos trouxe a esse momento foi tão bom, tão incrivelmente certo, que já me convenceu. Eu nem preciso ouvir mais nada para declarar Danger Days o álbum de rock mais perfeito de 2010.

E se a música for boa, bem... então pode ser que seja o álbum de rock mais perfeito que já foi feito.

George Orwell uma vez disse que a essência de ser humano "é que não se busca a perfeição." Mas George Orwell não sabe nada sobre bandas de rock. Se eles estavam atrás disso ou não, o My Chemical Romance, pode muito bem ter encontrado a perfeição pura dessa vez. Eles só precisaram colocar calças de couro apertadas e caçar vampiros em um deserto para conseguir.

Fonte: MCRBrasil.com

Nenhum comentário: